segunda-feira, 6 de maio de 2013

Abrindo caminhos,faça suas escolhas...


Corazon jogando corações

Intuir

Dê ouvidos a sua intuição: ela nada mais é do que a memória meio enevoada das suas experiências emocionais anteriores, daquilo que você já viveu, sentiu, conheceu. Por isso costuma funcionar tão bem.

Assumir suas escolhas

“Aprenda a escolher e a se responsabilizar por suas decisões”, diz a psicóloga e terapeuta sexual Ana Canosa. “Nada atrapalha tanto o amadurecimento pessoal quanto responsabilizar o outro pelo que deu errado.” Avalie suas opções e reflita antes – mas decida!
Dizer sim...

Não importa se é no primeiro encontro; o importante é saber diagnosticar o que está em jogo. “No amor não há boas regras. Há boas ou más percepções do tipo de necessidade masculina”, ensina o psicanalista Alberto Goldin.

...e também dizer não

Se este ainda não é o seu mantra, comece a repetir já: “Tenho que dizer não para tudo o que me agrida ou faça com que me sinta subjugada”. Seja menos dramática e chorosa, lutando por seus direitos de maneira focada e objetiva. Deixe o drama para os momentos realmente dolorosos.

Valorizar o silêncio

Por mais que você adore pessoas e convívio humano, faça coisas sozinha de vez em quando. Assim você aprende a lidar com os próprios pensamentos, medos, ansiedades... “E descobre que pode ser uma ótima companhia para si mesma!”, diz Ana Canosa.

Acolher o amor e, às vezes, só sexo
Enquanto o sexo é uma escolha individual, amor é compromisso com o outro. Você até pode querer juntar as duas coisas, mas não transe somente por amor ao outro. Busque seu prazer sexual, lembrando que experimentar sexo sem amor pode ser bem interessante para aprender a focar puramente no seu gozo.
Abrir-se para o erotismo
Para conectar-se ao sexo em tempos de tanta dispersão, explore o erotismo disponível em revistas, livros e imagens. Tenha pelo menos dois livros de contos ou quadrinhos eróticos na cabeceira da cama. Quando bater aquela sensação de que o sexo é só mais uma tarefa do dia, leia uma dessas histórias e inspire-se.
Dar uma chance ao outro
No amor, no trabalho ou na vida pessoal. Generosidade faz bem a quem pratica e a quem recebe.

Revelar o seu interesse
Afinal, como define o psicanalista Alberto Goldin, uma mulher realmente interessada é muito interessante.

Ousar (mesmo!)
Pelo menos uma vez ou outra, seja ousada no sexo. Vista-se poderosamente com corpete, salto alto e peruca (por que não?). Faça strip-tease, transe na escada de incêndio, deixe alguém de boca aberta! Você se sentirá sedutora.

Aliar-se a outras mulheres
Tenha amigas com quem possa desfrutar intimidade, buscar consolo, compartilhar experiências e aprendizados. Não cultive a rivalidade feminina, tão estimulada pela cultura, e opte por vínculos verdadeiros. Você perceberá que todas passamos por apuros semelhantes e poderá fazer grandes descobertas.

Fazer muito mais sexo
“O sexo desencadeia algumas das sensações mais intensas e maravilhosas da nossa vida”, afirma o psicólogo Ailton Amélio. Além disso, está ao alcance de todos. Não precisa ser comprado nem é necessário pagar royalties para tê-lo. “No entanto, poucas pessoas tiram todo o proveito que poderiam.”

Simplesmente escutar
Nos primeiros encontros, o mais inteligente é escutar. “Os homens adoram falar, e uma mulher que sabe ouvir com atenção, cuidado e interesse ganha muitos pontos”, acredita o psicanalista Alberto Goldin. Com as amigas, marque almoços individuais e estreite a cumplicidade.

Renovar
Tente ser uma pessoa aberta ao novo e ao diferente; não use sempre o mesmo “mapa” para ir de um ponto a outro na vida. Abra seus horizontes. Isso diz respeito a parceiros também. Se o atual não a satisfaz em algum aspecto, seja honesta consigo mesma e conquiste coragem para trocar.

Mexer-se
Pare de buscar métodos milagrosos ou instantâneos para manter a forma e exercite-se! Escolha uma atividade que lhe dê prazer. Pode ser dançar (mesmo sozinha, em casa, desde que com constância e assiduidade, 30 minutos diários, por exemplo). Prefere caminhar, mas tem preguiça? Recrute um amigo. Arrume um cachorro. Mas vá!

Comemorar
Festeje cada conquista de sua vida, recordando todo o esforço que empenhou. Monte uma caixa com objetos, recortes ou lembranças das vitórias e olhe sempre – especialmente quando tudo parece cinza.
Comprar somente o que lhe agrada
E não o que acredita que impressione os outros. Assim você fica mais feliz, encontra o próprio estilo e ainda contribui para a sustentabilidade do planeta ao adotar o consumo responsável.

Investir na beleza essencial
Postura, atitude e charme compõem o tipo de beleza que se mantém com o passar dos anos. Em um mundo competitivo, em que prevalece a exigência da juventude eterna, é fácil esquecer que algumas características pessoais são tão importantes quanto a estética.

Ser inteira
Não busque no parceiro um complemento do que falta em você: encontre em si mesma aquilo que acredita estar faltando (ou persiga como meta até conseguir!). Afinal, a história da cara-metade é muito antiga e chata. O parceiro deve ser (assim como você para ele) um agregador, alguém para compartilhar coisas boas e tristes.
Ter opinião
Nada é mais triste do que conversar com alguém que não tem o que dizer. A repetição de frases feitas ou de ideias onipresentes na mídia não prende a atenção de ninguém. Permita-se exprimir o que genuinamente pensa, mesmo que vá na contramão do senso comum. Assim você despertará mais atenção, até no trabalho.

Rejeitar as fofocas
É certo que fica mais difícil quando o nome que está na roda é o seu. Mas lembre-se de que os fuxicos costumam vir principalmente de pessoas em momento de pouca riqueza interior (para ser sutil...). Deixe-as falar e ocupe-se de outras coisas.

Arriscar-se
Pode ser em pequenas coisas do dia a dia, como pedir um prato novo no restaurante, ou no trabalho, ao assumir uma tarefa nova. Independentemente do resultado, a gratificação será a coragem de experimentar. Dispense o mediano, que anda de mãos dadas com a mediocridade. Torne sua biografia mais interessante.

Revitalizar-se
O psicólogo Anderson Zenidarci alerta que costumamos adoecer fisicamente para denunciar dores emocionais. O que fazer então? Expressar livremente nossos sentimentos, mesmo os mais dolorosos. “Quando não sabemos ou não conseguimos, o corpo faz isso de forma automática”, acredita Anderson.

Dar-se um presente
Seja carinhosa com você mesma, oferecendo-se momentos de calor e bem-estar. Ao comprar para si algo que adorou, peça à vendedora para embrulhar para presente e abra como se fosse uma surpresa.

Pôr os pés no chão
Sonhar é bom quando nos ancoramos no real, construindo estruturas sólidas para realizar. Caso contrário, gerará frustração, ou seja, expectativas não realizadas. Brad Pitt pode até ser seu homem ideal, mas busque modelos mais próximos do seu círculo de convivência se quiser de fato ter um parceiro.

Mudar de estratégia
Se as conquistas pessoais não vêm, apesar dos esforços, analise melhor suas ações. Os obstáculos que enfrentamos dão pistas de posturas ou caminhos equivocados. Em vez de lamentarse, veja os fracassos também como forma de aprendizagem e lapidação pessoal. Repense e busque outra tática.

Cercar-se da diversidade
Cada amigo é um universo que se apresenta ao nosso contato. O diferente é interessante, pois expõe um novo ângulo para enxergar os fatos da vida. Amigos de todas as idades, crenças, etnias e profissões só nos enriquecem.

Tomar a iniciativa
Não tenha medo de romper com os próprios padrões e surpreender – principalmente a si mesma. Quem disse que você não pode vestir aquele tomara que caia ou aquela cor vibrante da moda? Ponha a autocrítica um pouco na gaveta e não tenha medo de marcar presença pela autenticidade.

Ser múltipla
“Nelson Rodrigues que me desculpe, mas as mulheres não são apenas santas ou demônios. Têm várias facetas, detalhes e ‘balangandãs’...”, diz o psicólogo Anderson Zenidarci. É a senha para viver sem culpa a personagem do dia sabendo que ela está longe de ser falsa – é, isso sim, uma das expressões de você mesma.
Ser frágil
Se não assumimos nossas fraquezas abertamente, por receio da exposição, ficamos com a falsa impressão de que esses sentimentos são feios e apenas nossos. Começamos a nos sentir inferiores. Pode ser o contrário. Ao deixarmos de lado a fantasia de super-heroínas, readquirimos a beleza do humano
Deixar que ele pague o jantar
Se o objetivo for oferecer a ele uma oportunidade de mostrar-se autoconfiante ou generoso.

Conhecer-se
É a forma fundamental de amor a si mesma. Você decide como conseguir isso: pode ser por meio da psicoterapia, de conversas com pessoas amigas e até de meios artísticos.

Persistir
Às vezes os desafios parecem se avolumar à nossa frente de tal forma que temos vontade de desistir de nossas metas. O esforço, o combate ao desânimo e à falta de fé e a retomada da esperança diante dos obstáculos dependem de uma vontade íntima que todas podemos encontrar.

Comunicar-se bem
Uma das mais poderosas comunicadoras do planeta, a americana Oprah Winfrey, sugere deixar de lado a criptografia cibernética e evitar abreviaturas e contrações. No contato profissional, além de resultar em mensagens mais elegantes, será mais fácil ser levada a sério.

Estar com sua família
Vida moderna é quase sinônimo de isolamento. O pai e a mãe fazem hora extra e cursos de especialização profissional, os filhos pequenos têm agenda de gente grande, os adolescentes estão com a galera o tempo todo. Assim, quase ninguém se vê mais em casa. Crie estratégias para melhorar seu tempo em família.

Fazer mais amigos
Não sabe como? Ou é muito tímida para puxar conversa na academia? Considere a possibilidade de se matricular em um curso diferente, como gastronomia, degustação de vinhos ou cerâmica.

Valorizar a autoestima
O psicólogo Ailton Amélio da Silva sugere fazer uma lista dos próprios méritos para, depois, ler e refletir sobre eles várias vezes por dia. Que tal também rever aquelas conclusões pessimistas que você tirou a seu respeito no passado? É bastante provável que a maioria delas não tenha se concretizado.
Dividir as tarefas em casa
Não significa apenas o trivial, “você lava, eu enxugo”. A psicóloga Cecília Russo Troiano, em seu livro Vida de Equilibrista (Cultrix), observa que os bilhetes escolares – e a atribuição de orientar os filhos – sempre são dirigidos às mães, embora ambos cheguem tarde em casa...

Trabalhar sem culpa
Toda mãe que se desdobra também em profissional já experimentou esse sentimento ao menos uma vez na vida (ou ininterruptamente, durante muitos anos). Pense então que, lá na frente, seu pequeno irá se orgulhar muito do seu trabalho e da sua versatilidade.

Descomprimir
Sabe por que os homens gostam tanto de futebol e de tomar uma cervejinha com os amigos depois do escritório? Porque é uma tremenda válvula de escape após a pressão no trabalho. Encontre a sua forma de se divertir: pode ser uma baladinha inocente com as amigas ou uma massagem.

Ser profissional
Isso significa muitas coisas: não estar vestida para matar no casual day da empresa; isolar problemas particulares do ambiente de trabalho; distinguir uma crítica pessoal de outra profissional; ser imparcial com a melhor amiga se ela também for colega de trabalho.

Desconectar
Tenha momentos sagrados para estar com as pessoas que ama: desligue-se da tecnologia e do movimento urbano. Se puder, desfrute o contato com a natureza, que pode devolver equilíbrio ao corpo e à mente e, ainda, acender o instinto sexual.

Ser verdadeira
Quando você tinha uns 4 ou 5 anos, sua mãe decretou que mentira tem perna curta. Lembra? A regra continua valendo na vida adulta.

Ser feliz
Não um dia, no futuro, quem sabe... Escolha ser feliz hoje, agora mesmo, enquanto lê esta revista e pensa que logo mais vai poder abraçar seu filho, sua mãe querida ou seu parceiro. Ou que talvez possa comprar um sorvete para aplacar o calor deste prenúncio de verão. Escolha ser feliz nas pequenas coisas, no dia a dia, todos os dias.

Ter vida pessoal
Bons profissionais se valorizam e sabem da importância de cultivar interesses pessoais. Estar disponível no trabalho não é o mesmo que se tornar o burro de carga oficial do departamento. E provavelmente não será dessa maneira que você conseguirá uma promoção ou aumento.

Ter um grande objetivo
“O comprometimento com a vontade, o pensamento e a ação para chegar a uma meta produz o envolvimento e a energia necessários para que o propósito seja cumprido”, diz a psicoterapeuta Raïssa Cavalcanti. Não tenha medo de sonhar grande.

Adotar o “pronto, falei!”
Quem é íntima das tuitadas sabe que esse é um dos tags mais utilizados. Geralmente vem seguido de rápidos desabafos e declarações excessivamente honestas. Faz um bem inacreditável. Pois não precisa ser só na internet. Você também pode exercitar o “pronto, falei!” no seu cotidiano.
Ser seletiva
Muita gente se pergunta como fulano ou sicrano conseguiu milhares de “amigos” nos sites de relacionamentos. Salvo raras exceções, esses pretensos populares estão mais interessados em colecionar números do que confidentes. Que tal só adicionar quem de fato lhe interessa?
Reciclar-se
A vida é um processo contínuo de trocas, aprendizado e descobertas. Deixe para trás, sem dó, o que não faz mais sentido ou deixou de ser importante. Pode ser um vestido que não serve mais, uma pessoa que a desrespeitou de alguma forma, uma atitude com a qual você não se identifica mais.
Sorrir
O que você pensou em fazer deu errado; foi olhar para o bonitão da mesa ao lado e tropeçou... Sorria! Encare com bom humor os pequenos percalços e você vai ver como cresce o fôlego para suas verdadeiras conquistas.









Um comentário:

Blogger disse...

I've just downloaded iStripper, and now I can watch the sexiest virtual strippers on my desktop.