terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Procrastinação

Procrastinação é o diferimento ou adiamento de uma ação. Para a pessoa que está procrastinando, isso resulta em stress, sensação de culpa, perda de produtividade e vergonha em relação aos outros, por não cumprir com suas responsabilidades e compromissos. Embora a procrastinação seja considerada normal, ela se torna um problema quando impede o funcionamento normal das ações. A procrastinação cronica pode ser um sinal de alguma desordem psicológica ou fisiológica.


As causas psicológicas da procrastinação variam muito, mas geralmente tendem a fatores como ansiedade, baixa autoestima e uma mentalidade auto-destrutiva. Pensa-se que procrastinadores têm um nível de consciência abaixo do normal, mais baseado em "sonhos e desejos" de perfeição ou realização, em vez de apreciação realista de suas obrigações e potenciais.
O autor David Allen traz à tona duas grandes causas psicológicas de procrastinação no trabalho e no dia-a-dia que estão relacionadas à ansiedade, e diretamente ligada à preguiça emocional. A primeira categoria engloba coisas muito pequenas para se preocupar, tarefas que são uma interrupção irritante no fluxo das coisas, e que tem soluções de baixo impacto; um exemplo seria, organizar uma sala bagunçada. A segunda categoria contém coisas muito grandes para serem controladas, tarefas que uma pessoa pode temer, ou cujas implicações podem ter um impacto grande na vida da pessoa; um exemplo seria, o filho adulto de um idoso doente decidir se este deve continuar vivendo ou morrer (como em casos em que a eutanásia é usada).
Vale apontar que uma pessoa pode inconscientemente superestimar ou subestimar o tamanho de uma tarefa, se a procrastinação se tornar um hábito em sua vida.

Fisiológica

Pesquisas sobre as raízes fisiológicas da procrastinação, em sua grande parte, focam no envolvimento do córtex pré-frontal. Essa área do cérebro é responsável por funções de execução cerebral como planejamento, controle de impulsos, atenção, e age como um filtro diminuindo estímulos que causam distração, que vêm de outras regiões do cérebro. Lesões ou baixa utilização dessa área podem reduzir a capacidade de uma pessoa de filtrar estímulos que causam distração, resultando em má organização, perda de atenção e aumento de procrastinação. Isso é similar ao papel do lobo pré-frontal no Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH), onde é comum a sua subutilização. 

Procrastinação e a saúde mental

A procrastinação pode ser uma desordem persistente e debilitante em algumas pessoas, causando disfunções e imperícia psicológicas significantes. Estas pessoas podem estar, de fato, sofrendo de outros problemas mentais como depressão ou Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH).
Enquanto a procrastinação é uma condição comportamental, esses outros problemas de saúde mental podem ser tratados com medicamentos e/ou terapia. Medicamentos podem melhorar a capacidade de foco e atenção de uma pessoa (no caso de um TDAH) ou melhorar o humor e temperamento no geral (no caso da depressão). A terapia pode ser uma ferramenta importante para ajudar um indivíduo a ter novos comportamentos, superar seus medos e ansiedades, e alcançar uma melhor qualidade de vida. Portanto, é importante para as pessoas que lidam cronicamente com a procrastinação debilitante, consultarem um terapeuta ou um psiquiatra para ver se um maior problema de saúde mental pode estar presente.

Perfeccionismo

Tradicionalmente, a procrastinação tem sido associada com o perfeccionismo, uma tendência de avaliar negativamente os resultados e a performance de alguém, medo intenso e ansiedade, mau humor recorrente e workaholismo. Slaney, em 1996, descobriu que perfeccionistas adaptivos eram menos prováveis a procrastinar que os não-perfeccionistas, enquanto que os perfeccionistas não-adaptivos (pessoas que veem seu perfeccionismo como um problema) apresentavam altos níveis de procrastinação (e também ansiedade).

Procrastinação acadêmica

Enquanto que a procrastinação acadêmica não é um tipo especial de procrastinação, pensa-se que a procrastinação é particularmente prevalente em configurações ambientais acadêmicas, onde estudantes devem lidar com prazos para provas e trabalhos em um ambiente cheio de eventos e atividades que competem o tempo e atenção dos estudantes. Mais especificamente, um estudo de 1992 mostrou que "52% dos estudantes entrevistados indicaram ter uma necessidade, de moderada a alta, de ajuda em relação à procrastinação".
Alguns estudantes enfrentam a procrastinação devido à falta de gerenciamento de tempo ou técnicas de estudo, stress, ou porque se sentem sobrepujados com seus trabalhos. Estudantes também podem lidar com a procrastinação por razões médicas como o TDA/TDAHou uma desordem de aprendizado como a dislexia.
A situação é pior em nível de graduação, onde as condições são perfeitas para procrastinação e trabalho mental intangível com prazos flexíveis e, muitas vezes, objetivos auto-definidos. Muitas universidades oferecem aulas, treinamento e tutoria em técnicas de estudo para estudantes que estão enfrentando a procrastinação ou uma desordem de aprendizado. Estudantes com TDA ou desordens de aprendizado, geralmente estão aptos a considerações especiais como, por exemplo, tempo maior para fazer uma prova.
Não é sabido o quão frequentemente um caso severo de procrastinação causado por uma disfunção mental pode passar despercebido quando a pessoa está em um contexto acadêmico, pois ela pode ser categorizada meramente como "procrastinação acadêmica".

Síndrome do estudante





síndrome do estudante refere-se ao fenômeno que muitos estudantes só vão começar a se dedicar inteiramente a uma tarefa logo antes do prazo final. O termo foi originado no livro Critical Chain de Eliyahu M. Goldratt.
Por exemplo, se um grupo de estudantes vai até um professor e pede por um adiamento do prazo final de entrega, eles provavelmente vão argumentar que seus projetos serão melhores se eles tiverem mais tempo para trabalhar neles; os alunos pedem isso com a intenção de distribuir o tempo de trabalho pelo tempo que sobra até o prazo de entrega. Porém, a maioria dos estudantes terá outras tarefas ou eventos que também demandam seu tempo. Logo, eles vão acabar se encontrando na mesma situação que começaram, desejando ter mais tempo livre, conforme a data limite se aproxima.

Tipos de procrastinadores

O tipo relaxado

Os procrastinadores do tipo relaxado veem suas responsabilidades negativamente e fogem delas direcionando sua energia para outras tarefas. É comum, por exemplo, para uma criança procrastinadora do tipo relaxado, abandonar a sua lição de casa, mas não sua vida social. Esse tipo de procrastinação é uma forma de negação. O procrastinador evita situações que causariam desprazer, e, em vez delas, participa de situações mais prazerosas. Em termos Freudianos, esses procrastinadores se recusam a renunciar ao princípio do prazer, em vez de sacrificarem-se no princípio da realidade. Eles podem aparentar não estar preocupados com o trabalho e com prazos, mas isso é simplesmente uma forma de evasão.

O tipo tenso-nervoso

O procrastinador tipo tenso-nervoso normalmente sente-se dominado por pressão, irreal quando trata-se de tempo, incerto sobre seus objetivos e muitos outros sentimentos negativos. Sentindo que lhes falta a habilidade ou foco para completar seus trabalhos, eles dizem a si mesmos que precisam "desestressar" e relaxar, e que é melhor "ir com calma à tarde para começar de novo na manhã seguinte", por exemplo. O "relaxamento" do procrastinador desse tipo é geralmente temporário e inefetivo, e leva a até mais stress conforme o tempo vai se esgotando, prazos se aproximam e a pessoa se sente cada vez mais culpada e apreensiva. Esse comportamento vira um ciclo de fracasso e atraso, enquanto os planos e objetivos são deixados de lado e anotados "para amanhã" ou para a próxima semana repetidamente. Isto também traz um efeito debilitante em sua vida pessoal e suas relações. Como os procrastinadores desse tipo são incertos em relação a seus objetivos, eles muitas vezes se sentem desconfortáveis com pessoas confiantes e objetivas, o que pode causar depressão. Procrastinadores tensos-nervosos geralmente recolhem-se da vida social, evitando contato até mesmo com amigos próximos.




Logo, um procrastinador é um indivíduo que evita tarefas ou que está evitando uma tarefa em particular.




Bom, baseado na explicação a procrastinação pode ser observada não somente no ambiente de trabalho. Procrastinar é muito comum na conduta individual particular, ou seja, em sua vida!



Basta ter um plano, seja ele financeiro, seja emagrecer...seja ser uma pessoa melhor...seja o que for....se não cuidar-se a procrastinação poderá surgir, e com certeza há uma explicação para isso. Falta de foco é uma delas.



Quantas vezes deixamos nossa atenção ser desviada por fatores que nos faz esquecer o objetivo principal? Sejam eles quaisquer. Por exemplo, um plano de emagrecimento prometido na virada do ano. Você promete....cria uma planilha....começa uma academia e depois...procrastinação. O seu plano sai do foco, os agentes externos lhe influenciam. Os amigos lhe chamam para um choppinho, o trabalho lhe engole e as amigas lhe chamam para sair. Você pensa: "Bom, só um pouquinho, e assim vai adiando."



Por isso, o foco é o fator decisivo para que obtenha o resultado desejado. Deixe de lado os fatores externos. No trabalho saiba distinguir o que é urgente do que é trivial. Na vida pessoal o que é importante do que é supérfluo.



Muitos se perdem pelo caminho e deixam a chance passar. Adiam compromissos que lhe trariam um bem estar futuro. Oh bendita procrastinação!




Um exemplo que gosto de usar muito: educação financeira. Procrastinação neste assunto é pedir para ter dificuldades no futuro. E explico, basta usar uma simples calculadora para ter uma ideia de como um simples hábito (foco) de depositar 10% de seu salário em uma caderneta de poupança (há aplicações melhores, mas vamos citar a poupança por ter menor risco) para ter a ideia do que a bendita composição de juros sobre juros poderá fazer em sua vida. Uma verdadeira mágica. Mas para muitos dos brasileiros isso é adiado e tratado em segundo plano. Procrastinação mental.




Por isso, segue algumas dicas de como evita-la, a procrastinação:




1. De olho no alvo 

Para isso, o passo número 1 é determinar seus objetivos e prioridades. Nesse processo, fuja de metas vagas e abstratas. Com alvos não consistentes, você não conseguirá sair do comodismo ou da tendência à procrastinação;


2. Diminua a ambição
De nada adianta, no entanto, encher-se de pretensões e abarrotar a agenda com metas hiperbólicas. Mais dia, menos dia, o imprevisto chegará e suas expectativas serão fatalmente frustradas;


3. Comece na primeira marcha
É hora de criar coragem e partir para a batalha contra a procrastinação. No entanto, a luta não precisa começar em grandes campos de batalha. Se você quer sair vencedor, encare, primeiro, pequenos exércitos. 
Ou seja, novamente dê um drible na ambição e escolha missões pequenas para espantar a tendência à procrastinação. "Planeje seu dia de forma a fazer primeiro atividades de curta duração", "Entrar em ação coloca você em ação e isso faz a adrenalina subir";



4. Revolucione as sinapses

A derrocada da procrastinação da rotina, no entanto, exige um esforço mais profundo. É preciso revolucionar a maneira como você encara a vida. 
De acordo com especialistas, o que impulsiona as pessoas a deixar tudo para a última hora não é só a preguiça ou a má organização do tempo, mas o modelo mental delas, ou a maneira como o nosso cérebro é programado para reagir as circunstâncias diárias. "Os hábitos são formados com base no seu mindset, ou modelo mental";



5. Aumente a adrenalina

Não é piada. Mas o papo de que uma vida saudável pode, de fato, tornar você mais produtivo e tirar da sua agenda a mania de procrastinar é verdadeiro, segundo os especialistas. 
"Muitas vezes, as pessoas deixam de realizar algumas atividades porque estão cansadas. Isso pode significar que elas estão com baixos índices de adrenalina".



Agora, pode também haver outras variantes psicológicas e ou fisiológicas. Vale a pena pesquisar caso a procrastinação seja de fato uma rotina em sua vida sem explicação.


PARE DE SE AUTOSSABOTAR
Se deixar as atividades para a última hora está atrapalhando e você quer acabar com esse comportamento, siga estas estratégias para ser uma pessoa mais produtiva:

RESERVE UM TEMPO NA AGENDA: se a atividade está sendo adiada e traz resultado, significa que ela é importante, mas não urgente. Se ela pode ficar à espera, você tem a flexibilidade de selecionar um dia na sua agenda, como se fosse uma reunião, com hora marcada para começar e terminar.
CRIE UM RITUAL DE EXECUÇÃO: pense em algo que o deixe motivado a fazer a atividade. Descobrir o que o coloca em estado de criatividade e foco permite concluir rapidamente o que precisa ser feito. Descubra e desenvolva seu próprio ritual.
VERIFIQUE OS FATORES POSITIVOS E NEGATIVOS DA ATIVIDADE: selecione a atividade a ser executada e escreva num papel os fatores positivos e negativos. Na hora de executar a tarefa, se sentir vontade de adiar, leia a lista. O exercício trabalha os lados emocional/racional do cérebro. Um dos dois vai motivá-lo.
EXECUTE PEQUENAS ATIVIDADES: experimente começar fazendo coisas menores, de rápida conclusão.
FATORES DE INCENTIVO: esta técnica consiste em trocar "a execução da tarefa" pelo "benefício posterior". O importante é selecionar algo que o incentive a fazer determinada atividade.
ENERGIA PESSOAL: se sua energia pessoal estiver prejudicada, você fica indisposto, sem vontade, e seu cérebro não funciona do jeito que deveria. Avalie as razões disso acontecer e estabeleça rituais de recuperação de energia, algo que ajude a dar um gás quando você estiver se sentindo mais cansado.
AJUDA EXTERNA: a pressão externa ou o apoio de alguém de fora como amigo, esposo (a) ou chefe parece realmente ser de grande ajuda para vencer a barreira da procrastinação. Se resolver achar este alguém para cobrar algo de você, é preciso que seja uma pessoa com a qual você tenha um alto nível de comprometimento e, sobretudo, respeito.
ESTABELEÇA PRIORIDADES: você deve distinguir o que não é tão importante e o que não deve, em hipótese alguma, ser adiado.
DIGA MAIS "NÃOS": evite assumir responsabilidades para agradar as pessoas. A estratégia é se comprometer apenas com as atividades que realmente poderão ser cumpridas.
NÃO TENHA MEDO DE ERRAR: é preciso deixar de lado a insegurança, conhecer suas limitações para poder aprimorá-las e não temer as decisões. Errar faz parte do aprendizado.

2 comentários:

Gizeli Santos disse...

Me ajudou muito essa postagem mesmo send antiga. Tenho um problema seríssimo com procrastinação , já estou ficando desesperada, pq deixo tudo pra depois e no fim não faço nada e por isso não alcanço meus objetivos, isso já esta me deixando doente. Vou fazer ao maximo para seguir essas dicas.

Gizeli Santos disse...

Me ajudou muito essa postagem mesmo send antiga. Tenho um problema seríssimo com procrastinação , já estou ficando desesperada, pq deixo tudo pra depois e no fim não faço nada e por isso não alcanço meus objetivos, isso já esta me deixando doente. Vou fazer ao maximo para seguir essas dicas.